MP-ES autoriza “uso da força” para volta da PM às ruas

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2017 21h44
ES - ESPÍRITO SANTO/PM - CIDADES - Soldados do Exército dispersam manifestantes pelas ruas de Vitória (ES), nesta terça-feira, 7, dia de protesto contra a paralisação da Polícia Militar. O policiamento é precário na capital capixaba desde o sábado, 5, início da paralisação. 07/02/2017 - Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO Exército nas ruas do Espírito Santo - AE

O Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) solicitou que a Polícia Militar volte a colocar suas tropas nas ruas de Vitória ainda na terça-feira (7). De acordo com o pedido, caso não seja atendido, os policiais serão responsabilizados criminalmente.

“Requisito, no prazo de quatro horas, sejam notificados os comandantes regionais, oficiais COP e oficiais das unidade de todo o Espírito Santos para que coloquem a tropa de rua, vencendo eventual resistência e fazendo uso progressivo da força”, diz a petição da promotora de Justiça Karla Dias Sandoval Marros Silva.

Nesta terça-feira, houve manifestação de grupos de moradores nas portas de Batalhões da Polícia Militar do Espírito Santo. O objetivo era de convencer as mulheres dos PMs a finalizarem os protestos que barravam a presença da polícia nas ruas.

Os atos ocorreram em Cachoeiro de Itapemmirim, Guarapari e Vitória. Na capital do Espírito Santo, o exército teve que agir para conter a manifestação. Houve confronto e as Forças Armadas usaram gás de pimenta para dispersar os manifestantes. Incêndios em pneus e a interdição de avenidas foram registrados no local.

Se a PM descumprir a ordem da promotora, os militares podem responder por desobediência e motim. A Justiça informou ainda que, a cada dia de paralisação, a Polícia Militar deverá pagar multa de R$ 100 mil. Como o documento foi entregue por volta das 12h, o prazo da notificação já foi vencido.