MP investiga se houve danos ambientais em liberação de fumaça tóxica no litoral

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2016 10h49

Moradores enfrentam fumaça em Vicente de CarvalhoAE - Moradores enfrentam fumaça em Vicente de Carvalho

O Ministério Público instaurou inquérito para apurar os danos ambientais de incêndio que liberou fumaça tóxica no litoral de São Paulo. O órgão quer saber quais foram os danos causados pelo fogo que consumiu conteineres da empresa Localfrio, liberando um produto à base de cloro.

Além disso, os promotores tentarão descobrir se o vazamento e incêndio foram gerados por um erro operacional. Até o momento, não há indícios de que tenha ocorrido algum tipo de dano ambiental. 175 pessoas procuraram hospitais da região desde o começo do incêndio.

O fogo foi extindo no início do manhã de sábado. Segundo o tenente do Corpo dos Bombeiros Rafael Marques, foram 37 horas de trabalho das equipes. (ouça detalhes no áudio acima)

Rafael Marques afirmou que qualquer conclusão sobre a causa do incêndio antes da investigação é precipitada.

As autoridades de Guarujá, Santos, São Vicente e Cubatão alertam que quem sentir dores na garganta, irritação nos olhos ou sentir náuseas, deve procurar imediatamente uma unidade de saúde.

Com Victor LaRegina