MPF quer manter ex-funcionário da Andrade Gutierrez na prisão

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2015 10h33

O executivo Paulo Dalmazzo na Superintendência da Polícia Federal do ParanáO executivo Paulo Dalmazzo na Superintendência da Polícia Federal do Paraná

O Ministério Público Federal se posicionou a favor da manutenção da prisão preventiva de um ex-funcionário de empreiteira acusado de participar do esquema de corrupção na Petrobrás.

O engenheiro Paulo Dalmazzo trabalhava para a Andrade Gutierrez e foi preso em 19 de junho na 14ª fase da Operação Lava Jato.

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz os processos, havia pedido uma manifestação da Procuradoria, após a defesa dele ter pedido revogação da prisão.

O executivo prestou depoimento à Polícia Federal na última segunda-feira.

Ele negou o recebimento de propinas, e afirmou que mantinha “relação estritamente comercial e profissional” com Paulo Roberto Costa, o ex-diretor de Abastecimento da estatal.

Roberto Costa é o primeiro delator do caso e cumpre atualmente a pena de prisão domiciliar.

Dalmazzo declarou ainda que teve pouco contato com o ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque, que continua preso em Curitiba.

Informações do repórter Danilo Oliveira