MPL avalia divulgar trajetos de protestos com antecedência

  • Por Estadão Conteúdo
  • 18/01/2016 13h30
São Paulo - A manifestação contra o aumento das tarifas do transporte público coletivo de São Paulo foi dispersada pela Polícia Militar (PM) mesmo antes de começar a se deslocar em passeata (Rovena Rosa/Agência Brasil)Protesto

Dois representantes do Movimento Passe Livre (MPL) compareceram à reunião convocada pelo Ministério Público Estadual na manhã desta segunda-feira, 18, para tratar dos protestos contra o aumento da tarifa. Foi a segunda tentativa do MPE de mediar os conflitos entre Polícia Militar e Passe Livre.

Na saída da reunião, a militante do MPL Viliane Pinheiro, de 30 anos, disse que o movimento sempre divulga os trajetos dos protestos – mesmo em cima da hora -, mas não se comprometeu a antecipar essa divulgação. “Em cada manifestação temos uma tática diferente”, afirmou, dizendo que a questão seria avaliada

Viliane acusou a Prefeitura de São Paulo e o governo do Estado de tentar “desviar o foco” da discussão sobre o aumento da tarifa do transporte público. “O Estado e a Prefeitura querem desviar o foco do aumento abusivo da tarifa em plena crise econômica, querem é cobrar mais da população por um transporte ruim.” No encontro, Viliane também fez críticas à qualidade do transporte público.

Na primeira reunião, que ocorreu na quinta-feira, 14, em dia de protesto, o MPL não participou. Integrantes do grupo realizaram atos nesta segunda-feira na capital paulista. O MPL marcou nova manifestação para esta terça-feira, dia 19, às 17 horas.