MTST cobra da Caixa acordos feitos com as famílias de ocupação em São Paulo

  • Por Agência Brasil
  • 13/05/2015 18h28
Caixa Econômica Federal

Representantes da Ocupação Copa do Povo do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) se reuniram, na tarde de hoje (13), com representantes da Caixa Econômica Federal em uma das sedes do banco no Shopping Center 3, na Avenida Paulista, em São Paulo. Na reunião, o movimento cobrou do banco o cumprimento de acordos feitos com as famílias da ocupação.

A Ocupação Copa do Povo está em um terreno na região de Itaquera, na zona leste da capital paulista, que pertence à empresa Inpar Projeto 47 (Viver). Segundo Josito Alves da Silva, um dos líderes do movimento, cerca de 3,2 mil famílias viviam no local, mas deixaram o terreno de forma pacífica após um acordo feito em julho do ano passado, em que representantes dos três níveis de governo, entre eles o Ministério das Cidades, a Caixa e a empresa proprietária do terreno, comprometeram-se a destinar a área para um empreendimento habitacional.

A reunião foi rápida e, segundo Silva, o movimento conseguiu com que a Caixa se comprometesse a pagar o dono do terreno assim que a assinatura do contrato for feita, o que deve ocorrer em junho. “Queremos cobrar a Caixa sobre a agilidade no processo porque já era para a gente ter feito a compra antecipada do terreno e, por uma burocracia da Caixa, ainda não conseguimos fazer isso”, explicou Silva à Agência Brasil.

O líder do MTST disse que saiu satisfeito da reunião pelo motivo do banco ter se comprometido a fazer parte do pagamento do terreno assim que a assinatura do contrato ocorrer e, a segunda parte, quando for feita uma revisão da matrícula do terreno. Segundo Silva, outra reunião foi agendada para sexta-feira (5) a fim de definir, por exemplo, o valor do terreno, estimado em cerca de R$ 28 milhões.

Antes da reunião, famílias da ocupação fizeram um ato na Avenida Paulista. Elas saíram do vão -livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), fecharam uma faixa da via no sentido Rua da Consolação e caminharam até o Shopping Center 3, onde ocorreu a reunião, mas foram impedidos de entrar no local. As portas do shopping foram fechadas como medida de segurança, disseram os vigilantes do centro de comércio à reportagem da Agência Brasil.

O ato foi pacífico e, segundo a Polícia Militar, reuniu cerca de 150 pessoas. O movimento estimou em 200 o número de participantes. Após a reunião, as famílias retornaram em passeata pela Avenida Paulista até o vão-livre do Masp, onde encerraram a manifestação.

Procurada pela Agência Brasil, a Caixa ainda não se pronunciou sobre o resultado da reunião.