Mufti do Cazaquistão desaprova selfies durante feriado muçulmano

  • Por Agencia EFE
  • 23/09/2015 14h40

Astana, 23 set (EFE).- O mufti do Cazaquistão, Yerzhan Mayamerov, se declarou nesta quarta-feira contra as selfies durante a cerimônia de sacrifício de animais por causa do feriado de Eid al-Adha, realizado nos países muçulmanos de 24 a 27 de setembro.

Em declaração divulgada em seu site, o mufti adverte contra os novos costumes de tirar fotos.

“Não se pode ficar orgulhoso desta prática. Quando você dá esmola com a mão direita, a mão esquerda não pode saber. Postar vídeos e fotos nas redes sociais, em busca de popularidade, vai contra o preceito”, comentou em sua nota o chefe espiritual do Conselho dos muçulmanos cazaques.

Ao longo da cerimônia no Cazaquistão é sacrificada uma ovelha de dois anos ou um camelo de cinco. Depois, a carne do animal é entregue às famílias necessitadas.

Os preços dos animais foram definidos com antecedência devido à demanda de carne. No caso do cordeiro, não se deve ultrapassar os 30 mil tenges (R$ 456), acrescentou o mufti do Cazaquistão em comunicado. EFE