Ao lado de Guaidó, presidente do Paraguai diz que o mundo deve ser claro ao transmitir defesa da democracia

  • Por Jovem Pan
  • 01/03/2019 15h26 - Atualizado em 01/03/2019 15h40
Reuters/Jorge AdornoDepois de Brasília, destino de Guaidó foi Assunção, no Paraguai

Depois de se reunir com o presidente Jair Bolsonaro, ministros e parlamentares em Brasília, o autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, reconhecido presidente por 50 países, seguiu para Assunção, no Paraguai, onde teve um encontro com o presidente Mario Abdo Benítez. Na reunião, que aconteceu nesta sexta-feira, 1, Abdo disse que espera a cooperação dos democratas e sua solidariedade para solucionar a crise na Venezuela, sobretudo daqueles que acreditam nas instituições.

“Ele (Guaidó) chegou a um país amigo. Um país que o apoia e defende princípios e valores”, afirmou Abdo. O presidente paraguaio lembrou que rompeu relações com a Venezuela assim que Nicolás Maduro tomou posse, em janeiro. “Eu fiz um discurso em que relato que o Paraguai rompeu relações diplomáticas com o tirano, não com o povo venezuelano”, destacou Abdo.

Na época, quando sua decisão foi questionada, o paraguaio reiterou a importância de mensagens claras ao mundo. Ao lado de Guaidó, ele fez elogios e repetiu palavras de apoio ao governo interino.

“Hoje nós recebemos aqui. Você representa a esperança de todo um povo porque o problema da Venezuela amanhã pode ser um problema para outro país. Este não é apenas um momento temporário, o Paraguai e o mundo devem ser claros em defesa dos valores libertários democráticos.”

*Com Agência Brasil