Após ruptura de relações, Colômbia ordena retorno de diplomatas na Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2019 18h08
EFEIván Duque, presidente da Colômbia, e Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela, em ato na Colômbia nesta sexta-feira (22)

O governo da Colômbia ordenou neste sábado (23) o retorno de seus diplomatas presentes na Venezuela depois de o ditador venezuelano, Nicolás Maduro, romper “todo tipo de relações” com o país vizinho.

O chanceler da Colômbia, Carlos Holmes Trujillo, afirmou hoje que seu país “reconhece o presidente Juan Guaidó”, chefe do Parlamento da Venezuela e que em janeiro se autoproclamou presidente interino do país, “a quem agradece o convite feito aos funcionários diplomatas e consulares colombianos para permanecer em território venezuelano”.

“No entanto, a fim de preservar a vida e integridade dos funcionários colombianos, sua viagem à Colômbia se dará o mais rápido possível”, disse Trujillo, pouco depois que Maduro anunciou o rompimento das relações com a Colômbia e deu 24 horas de prazo para que os diplomatas colombianos saiam da Venezuela.

Nos últimos dias, Nicolás Maduro fechou as fronteiras da Venezuela, inclusive com o Brasil, e tem recusado receber a ajuda humanitária. Neste sábado, as milícias armadas da ditadura entraram em confronto com manifestantes na fronteira do país com a Colômbia.

*Com EFE