Araújo pede que representantes dos Brics ‘ouçam grito por liberdade’ da Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2019 11h46
Ministério das Relações Exteriores/Flickr Ernesto Araújo recebe chanceleres em encontro do Brics, no Rio de Janeiro

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, pediu, nesta sexta-feira (26), que os representantes dos Brics (grupo de países composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) escutassem o “grito pela liberdade” que está vindo da Venezuela. Durante a reunião de ministros das Relações Exteriores que acontece no Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, ele pediu que o grupo aja em conjunto sobre a crise venezuelana.

“Não podemos deixar de ouvir um grito que pede liberdade e que vem da Venezuela, do povo venezuelano”, disse Araújo, acrescentando que “fazia um apelo” aos chanceleres dos demais países do Brics para ouvir esse “grito que pede liberdade”. Ele descreveu a crise na Venezuela como uma situação de oposição entre um “governo constitucionalmente constituído”, numa referência à nomeação de Juan Guaidó como presidente interino pela Assembleia Nacional, e “um governo que se sustenta exclusivamente pela força”, sobre Nicolás Maduro, que segue no poder.

Os esforços do ministro vão de encontro, principalmente, à Rússia e a China, que têm assento permanente no Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas, a, até agora, estão apoiando o governo de Maduro.

“Estamos a disposição dos senhores para explicar o que está acontecendo e agirmos em conjunto”, terminou Araújo.

*Com Estadão Conteúdo