Argentina registra 1,2 mil novos casos de Covid-19 e chega a 32 mil

Número de mortes subiu para 854 depois que mais 12 foram confirmadas hoje

  • Por Jovem Pan
  • 15/06/2020 22h13
EFE/ Juan Ignacio RoncoroniMedidas de isolamento no país estão em vigor desde 20 de março

A Argentina registrou 1.208 novos casos da Covid-19 nesta segunda-feira, 15, elevando o total no país para 32.785, enquanto o número de mortes subiu para 854 depois que mais 12 foram confirmadas hoje. Segundo o relatório emitido pelo Ministério da Saúde argentino, entre as 12 vítimas há 11 homens e uma mulher, pessoas entre 40 e 92 anos moradoras das províncias de Buenos Aires, Córdoba e Río Negro. Dos 32.785 casos detectados pelas autoridades sanitárias desde 3 de março, 1.028 são importados, 12.835 são contatos próximos de pessoas infectadas anteriormente, 12.828 são de circulação comunitária e 6.094 estão sob investigação epidemiológica. Até agora, na Argentina, onde as medidas de isolamento estão em vigor desde 20 de março, foram realizados 239.941 testes para detectar o vírus SARS-CoV-2, com uma taxa de 5.287 testes por milhão de habitantes.

Província de Chaco endurece isolamento

Chaco, no norte do país, é a terceira província com mais casos de coronavírus. A região decidiu endurecer suas medidas de isolamento social diante do aumento das infecções, que totalizam 1.364, com 38 casos relatados nesta segunda-feira. O governador Jorge Capitanich decidiu que, de hoje até o próximo domingo, haverá um nível máximo de restrição de atividade na província. “Dissemos que não vamos mais falar de fases, mas é a fase mais difícil e restritiva desde o início da quarentena, então vamos controlar ao pé da letra o isolamento obrigatório”, advertiu através de uma mensagem nas redes sociais.

As novas restrições incluem a suspensão das licenças concedidas para desenvolver determinadas atividades e permitir a movimentação somente daqueles que prestam serviços básicos. Além disso, os bancos foram suspensos e os controles fronteiriços da província foram completamente fechados. Enquanto isso, as autoridades da cidade de Buenos Aires e da província homônima, distritos que concentram quase 90% dos novos contágios, estão analisando possíveis medidas para lidar com o crescimento da pandemia em toda a área urbana da capital.

* Com EFE