Ataque do EI contra Rússia se soma a outros vários sofridos por Moscou nos últimos 25 anos

Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque que deixou ao menos 60 mortos e mais de cem feridos

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2024 23h54 - Atualizado em 22/03/2024 23h56
STRINGER / AFP russia ataque Pessoas depositaram flores e acenderam velas em memória das vítimas do ataque armado em Moscou, no centro de Simferopol, Crimeia, em 22 de março de 2024

O ataque contra Rússia realizado nesta sexta-feira, 22, se somou a vários outros que tem sido registrados na capital russa nos últimos 25 anos. As autoridades russas classificaram os ataque que deixaram ao menos 60 menos e mais de cem feridos como um ‘atentado terrorista sangrento’. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque por meio de um comunicado, afirmando pelo Telegram que combatentes do grupo “atacaram uma grande concentração […] nos arredores da capital russa, Moscou”. O grupo jihadista acrescentou que, após o ataque, seu comando retornou à sua base em segurança. O ataque desta sexta acontece cinco dias após Vladimir Putin vencer as eleições que lhe deram mais 6 anos à frente da presidência russa. O prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, anunciou o cancelamento “de todos os eventos esportivos, culturais” e de caráter público durante o fim de semana. Relembre alguns dos últimos ataques registrados na capital russa:

1999 – Em 13 de setembro, 120 pessoas morreram em um atentado com bomba em um prédio no sudeste de Moscou. Poucos dias antes, 90 pessoas morreram na explosão de outro prédio. As autoridades atribuíram ambos os ataques a “terroristas chechenos”, que antecederam o início, em outubro, do segundo conflito russo-checheno. Outras teorias afirmam que foram orquestrados pelos serviços de segurança russos (FSB).

2002 – De 23 a 26 de outubro, um comando checheno de 21 homens e 19 mulheres com armas e explosivos toma mais de 900 reféns no teatro Dubrovka, em Moscou. A operação de resgate lançada pelas forças russas resulta em 130 mortes, a maioria asfixiada pelos gases usados na ação.

2003 – Em 5 de julho, um duplo atentado suicida cometido por duas mulheres mata 15 pessoas e deixa mais de 50 feridos na entrada de um show de rock no aeródromo Tushino, em Moscou. O ataque nunca foi reivindicado, mas as autoridades russas o atribuíram a comandos independentistas chechenos.

2004 – Em 6 de fevereiro, um atentado com explosivos no metrô de Moscou, reivindicado por um grupo checheno desconhecido (“Gazotan Murdash”), mata 41 pessoas.

2010 – 19 de março: pelo menos 40 pessoas morrem em um duplo atentado suicida com explosivos no metrô de Moscou, atribuído pelas autoridades a duas mulheres. Uma das explosões ocorre na estação Lubianka, em frente à sede dos serviços de segurança russos (FSB).

2011  – 24 de janeiro: um atentado suicida mata 37 pessoas e deixa 130 feridos no aeroporto de Moscou-Domodedovo, na área de chegadas de voos internacionais. A ação foi reivindicada pelo líder da rebelião islamista da época, o checheno Doku Umarov.

*Com informações da AFP

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.