Atos violentos marcam manifestação de 1º de Maio em Paris

  • Por Agência EFE
  • 01/05/2018 14h33
EFE/ Yoan ValatCerca de mil mascarados promovem quebra-quebra durante marcha do Dia do Trabalho, nas ruas de Paris

Grupo de mascarados e encapuzados enfrentou nesta terça-feira a polícia no centro de Paris durante a manifestação do 1º de Maio, convocada pela Confederação Geral do Trabalho (CGT).

As forças de ordem tinham tomado precauções e desdobrado ao longo do trajeto, da praça da Bastilha até à praça Itália, um total de 1,5 mil policiais e militares.

Pouco depois do início da manifestação, por volta das 15h30 (13h30, em Brasília), a polícia postou no Twitter que tinha detectado 1,2 mil indivíduos mascarados e encapuzados na altura da Ponte de Austerlitz, mais ou menos na metade do percurso previsto.

Integrantes desse grupo lançaram projéteis contra os agentes, que responderam com bombas de gás lacrimogêneo e canhões de água.

Um restaurante McDonald’s foi danificado, assim como uma concessionária de carros e uma imobiliária, além de contêineres de lixo, como consequência dos coquetéis molotov e objetos lançados pelos radicais.

O ministro francês do Interior, Gérard Collomb, condenou “com firmeza” a violência e o vandalismo e afirmou também no Twitter que foi colocado à disposição para cessar “estes graves distúrbios ao ordem pública e deter os autores desses atos inqualificáveis”.