Autoridades fecham escolas no Irã após 6 mortes por coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2020 00h46
EFEAs autoridades iranianas criaram uma sede central para combater e prevenir o novo coronavírus e disponibilizaram um total de 170 hospitais para tratar os pacientes

As autoridades iranianas anunciaram neste sábado (22) o fechamento temporário de escolas em várias províncias, incluindo Teerã e Qom, para evitar a propagação do novo coronavírus, que já causou seis mortes no país.

As escolas permanecerão fechadas neste domingo e na segunda-feira em Teerã, Qazvin, Golestan e Hamedan, enquanto em Alborz, à princípio, só não terão atividades amanhã. Por outro lado, em Gilan, as aulas só serão retomadas na próxima quinta-feira.

Em Qom, onde a maioria das infecções e mortes foram registradas, as universidades e seminários também ficarão fechados por dois dias. O diretor da Universidade de Ciências Médicas local, Mohamadreza Qadir, disse que não há planos de colocar a cidade em quarenta, mas que os habitantes são aconselhados a não saírem de suas casas.

Qadir pediu para as pessoas não fazerem viagens desnecessárias ou visitarem santuários xiitas, como o famoso Fatemeh Masumeh, que é muito importante para a população.

Segundo o porta-voz do Ministério da Saúde, Kianush Yahanpur, a maioria dos casos detectados de coronavírus nos últimos dias é de residentes de Qom ou pessoas que viajaram recentemente para a cidade. Ele relatou que hoje dez novas ocorrências foram diagnosticadas e um infectado morreu, elevando o número de mortos para cinco. O de contaminados subiu para 28.

Horas mais tarde, o saldo subiu para seis quando o governador da província de Markazi, Ali Aqazadeh, comunicou que um homem com problemas cardíacos que havia falecido na região tinha dado positivo para Covid-19.

Outras medidas

Além do fechamento das escolas, foram tomadas outras medidas para evitar aglomerações, como o cancelamento dos shows programados para os próximos dias. Três partidas pelo Campeonato Iraniano acontecerão com portões fechados.

As autoridades iranianas criaram uma sede central para combater e prevenir o novo coronavírus e disponibilizaram um total de 170 hospitais para tratar os pacientes. Nas ruas, mais pessoas estão se protegendo com máscaras e usando desinfetante, o que fez com que os dois produtos se esgotassem em muitas farmácias e que o preço subisse de maneira exorbitante.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) manifestou ontem preocupação com o avanço da de Covid-19 no Irã e destacou estar investigando a extensão da epidemia, seus meios de transmissão e o potencial para novos casos nos próximos dias.

* Com EFE