Avião chinês que caiu em março e matou 132 pessoas foi derrubado propositalmente, apontam EUA

Dados da investigação sobre a queda do Boeing 737-800 mostram que alguém no cockpit da aeronave foi responsável pelo acidente

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2022 12h14 - Atualizado em 18/05/2022 17h48
EFE/EPA/MAURITZ ANTIN Avião da China Eastern Airlines Um boeing da companhia China Eastern Airlines caiu nesta segunda-feira, 21, com 132 pessoas a bordo

Dados da investigação sobre a queda do Boeing 737-800, um voo chinês, que tinha como destino a cidade de Guangzhou, apontam que o avião foi derrubado propositalmente, de acordo com as informações divulgada pelo jornal norte-americano Wall Street Journal. Autoridades especializadas dos Estados Unidos analisaram o acidente e concluíram que a queda foi ocasionada por alguém que estava no cockpit da aeronave pertencente à China Eastern. Os dados da única caixa preta recuperada também apontam que há chance de que o uso de controles empurraram o avião para o mergulho fatal. Na hora da queda, o Boeing, que estava a uma altura elevada, mudou de repente o destino e caiu verticalmente, chocando-se a uma velocidade elevada com uma montanha. “O avião fez o que foi mandado por alguém na cabine”, informou a pessoa envolvida na análise da caixa preta. O acidente matou as 132 pessoas que estavam a bordo. 

 

As investigações, que trabalhavam para descobrir os motivos que ocasionou a queda do avião, mudaram de foco após as evidências. Agora os pilotos são apontados como os responsáveis. Porém, o desdobramento e a conclusão ainda podem demorar a serem concluídos. Desde o acidente, a companhia chinesa suspendeu suas atividades, mas, com as provas que mostram que a causa pode ter sido proposital, eles voltaram a operar, de acordo com o jornal norte-americano.

Relembre o caso

No dia 21 de março o Boeing 737, da companhia China Eastern Airlines com 132 pessoas a bordo, sendo 123 passageiros e nove membros da tripulação, decolou por volta das 13h (2h no horário de Brasília) da cidade de Kunming e tinha como destino Guangzhou. Contudo, a aeronave nunca chegou lá, pois caiu em uma zona rural próxima da cidade e provocou um incêndio na montanha. Equipes de resgate foram enviadas, mas não encontraram nenhum sobrevivente. A Administração Chinesa de Aviação Civil (CAAC) informou que o Boeing 737, que estava em operação desde 2015, “perdeu contato quando estava sobrevoando a cidade de Wuzhou”.