Centro de Berlim tem 14 protestos contra o racismo; 93 pessoas são detidas

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2020 11h18 - Atualizado em 07/06/2020 11h19
EFE/EPA/KOSTAS TSIRONISAo longo do dia, 14 manifestações ocorreram no centro de Berlim, sendo a maior delas na Alexanderplatz, onde cerca de 15 mil pessoas protestaram pacificamente

A capital da Alemanha, Berlim registrou, ao menos, 93 pessoas detidas em conflitos entre manifestantes e forças de segurança após protesto ocorrido no sábado (6). Cerca de 14 atos contra o racismo e a violência policial aconteceram na capital alemã em resposta ao assassinato de George Floyd em Minneapolis, nos Estados Unidos.

As prisões foram feitas sob acusações de perturbação da ordem pública, resistência e agressão à autoridade, tentativa de libertar um detido, violação da lei de proteção contra infecção e arrombamento, disse a polícia da capital alemã em comunicado. Nos atos, 29 agentes ficaram levemente feridos.

Após a prisão de um homem por danos a uma viatura, alguns manifestantes atiraram repetidamente garrafas e pedras contra agentes e transeuntes. Por um megafone, as forças de segurança ordenaram aos manifestantes que deixassem a área. Algumas pessoas se afastaram do local, e, entre aqueles que optaram por ficar lá, houve várias prisões.

Ao longo do dia, cerca de 800 agentes fizeram o policiamento para as 14 manifestações ocorridas no centro de Berlim, sendo a maior delas na Alexanderplatz, onde cerca de 15 mil pessoas protestaram pacificamente contra a discriminação racial.

Também em Hamburgo, os protestos pacíficos foram ofuscados por confrontos entre manifestantes e a polícia, que culminaram com várias detenções e pelo menos um policial ferido. Antes, havia ocorrido outra marcha, com cerca de 14 mil pessoas e sem grandes incidentes.

Em cerca de 20 cidades alemãs, dezenas de milhares de pessoas manifestaram neste sábado (6) a sua solidariedade a Floyd, um homem negro de 46 anos assassinado por um policial branco.

*Com informações da EFE