Briga de imigrantes força intervenção do governo francês

  • Por Jovem Pan com EFE
  • 02/02/2018 08h51 - Atualizado em 02/02/2018 09h10
EFE/JOHAN BEN AZZOUZGrupo de imigrantes carrega paus e pedras durante enfrentamento perto do porto de Calais, na França; confronto entre imigrantes afegãos e eritreus deixou feridos graves

Uma briga entre uma centena de imigrantes do Afeganistão e da Eritreia na cidade de Calais que terminou com pelo menos três pessoas gravemente feridas levou nesta quinta-feira o governo da França a intervir e o ministro do Interior, Gérard Collomb, a se deslocar com urgência a essa cidade do norte do país.

“Devido aos graves incidentes ocorridos hoje, viajo nesta mesma tarde a Calais para analisar a situação com o prefeito da cidade e atores locais”, anunciou Collomb nas redes sociais.

Os fatos aconteceram durante uma distribuição de comida, quando afegãos e eritreus protagonizaram uma briga na qual foram registrados pelo menos oito feridos, três deles em estado grave, segundo um balanço provisório.

Alguns deles foram feridos com armas de fogo e outros apresentam contusões ferimentos de faca, informou a imprensa local.

As brigas entre imigrantes nesta cidade são frequentes e deixaram várias dezenas de feridos e alguns mortos, o último deles um jovem de 22 anos esfaqueado em agosto do ano passado.

Em 2016, Calais chegou a concentrar até 10 mil imigrantes no chamado “acampamento da vergonha”, desmantelado pelas autoridades francesas em outubro do mesmo ano.

Seus ocupantes procediam, sobretudo, do Afeganistão, Sudão e Eritreia, e a maioria pretendia chegar ao Reino Unido.

Atualmente, calcula-se que entre 550 e 800 imigrantes vivem nessa região.

No ano passado, o Ministério Público e diversas associações denunciaram o estado precário em que vivem estes jovens, que dormem ao relento e se queixam da perseguição das autoridades.