Buenos Aires multará quem não usar item de proteção no transporte público

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2020 12h51
Juan Ignacio Roncoroni/EFEO boletim do Ministério da Saúde da Argentina aponta que o país registrou 2.208 casos de infecção pelo novo coronavírus, e 95 mortes

O prefeito de Buenos Aires, na Argentina, Horacio Rodríguez Larreta, anunciou nesta segunda-feira (13) que serão impostas multas às pessoas flagradas na cidade sem máscaras no transporte público ou no atendimento ao público.

A medida, que passará a vigorar a partir desta quarta-feira, prevê pagamento de 10 mil pesos (R$ 780) para quem não utilizar a proteção em ônibus, trens, metrô, entre outros meios, e de 80 mil (R$ 6,3 mil) para o descumprimento no atendimento.

Além disso, de acordo com o prefeito de Buenos Aires, estabelecimentos comerciais que não seguir as ordens poderão ser fechados e até terem a licença de funcionamento suspensa.

O requisito da máscara para boca, segundo Larreta, está sendo imposto devido a “comprovação” de que duas em cada três pessoas que estão infectadas, não apresentam sintomas, mas ainda assim podem contaminar outras. O equipamento de proteção permite que superfícies passem a conter o novo coronavírus.

O chefe do governo local, inclusive, garantiu que não será necessário um equipamento semelhante aos utilizados por profissionais de saúde, mas qualquer cobertura ao nariz e à boca. A prefeitura vai proibir à venda da máscara de proteção profissional para pessoas que não sejam cadastradas como funcionárias das equipes de saúde.

O governo da Argentina prorrogou as medidas de quarentena até 26 de abril. No decreto assinado pelo presidente, Alberto Fernández, alguns estabelecimentos comerciais receberam autorização para funcionar.

O prefeito, no entanto, destacou que não está sendo permitido para sair para a realização de atividades físicas em Buenos Aires, devido a “densidade da população”, admitindo que é uma medida possível para cidades menores.

Casos

O boletim do Ministério da Saúde da Argentina aponta que o país registrou 2.208 casos de infecção pelo novo coronavírus, e 95 mortes. Do total do contágio, 37,3% são “importados”, 34,8% aconteceram a partir de contato direto e 14,4% de circulação comunitária.

Cerca de 515 pessoas são consideradas curadas da covid-19. Até este domingo (12), foram realizados 1.435 testes de diagnóstico do novo coronavírus.

*Com informações da EFE