Candidata transgênero concorrerá ao governo de Vermont, nos EUA

  • Por Agência EFE
  • 15/08/2018 07h24
Reprodução/FacebookNas eleições estaduais e legislativas do dia 6 de novembro, Christine Hallquist terá como adversário o atual governador, Phil Scott

Os democratas fizeram história na terça-feira ao escolher Christine Hallquist como a primeira candidata transgênero a governadora nos Estados Unidos, nas primárias do estado de Vermont.

Christinet obteve 48,1% dos votos nas primárias onde enfrentou outros três democratas, um deles um adolescente de 14 anos, Ethan Sonneborn, que conseguiu um respeitável 8,2%.

Nas eleições estaduais e legislativas do dia 6 de novembro, Christine Hallquist terá como adversário o atual governador, Phil Scott, que com 67,2% ganhou as primárias republicanas, muito menos movimentadas que as democratas (30.673 a 48.970 com 87% dos votos apurados).

Ainda em Vermont, o grande favorito era o senador independente e ex-candidato à presidência em 2016 pelo Partido Democrata, Bernie Sanders.

Sanders desta vez não deu chances para a surpresa e venceu suas primárias com 94,4%.

Em novembro, deverá enfrentar Brooke Paige, que com 87% dos votos apurados, liderava as primárias republicanas, novamente, com menor participação que as democratas (21.392 a 57.681 neste caso).

Além de Vermont, também ocorreram as eleições primárias em Wisconsin, Connecticut e Minnesota.

Em Wisconsin está em jogo a cadeira do atual presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, que deixará o cargo após 20 anos.

O candidato republicano à vaga de Ryan será o professor universitário Bryan Steil, que conquistou as primárias com 51,4% dos votos, enquanto o metalúrgico Randy Bryce, de origem mexicana, venceu a disputa democrata com 60,9%.

Os democratas parecem começar com uma pequena vantagem, já que nas suas primárias participaram 61.087 pessoas, enquanto nas republicanas, 59.870.

Nas primárias para o Governo, o atual governador, Scott Walker arrasou com 93,2%, impulsionado pelo apoio do presidente, Donald Trump, e enfrentará o democrata Tony Evers, atual superintendente de Educação do estado.

Também em Wisconsin, a republicana Leah Vukmir ganhou as primárias e enfrentará a atual senadora, a democrata Tammy Baldwin, que tentará a reeleição.

Já em Connecticut, o empresário democrata Ned Lamont ganhou com folga (83,4%) suas primárias para o Governo, onde tentará suceder seu colega de partido, Dan Malloy, que deixa o cargo após dois mandatos.

Antes, ele deverá enfrentar Bob Stefanowski, que com cerca de 30%, lidera a apuração republicana.

Por outro lado, o atual senador e candidato à reeleição, Chris Murphy, terá como adversário o republicano Matthew Corey.

Em Minnesota, a congressista estadual Ilhan Omar venceu as primárias democratas para uma das cadeiras na Câmara dos Representantes e se ela atender as expectativas e voltar a ganhar em novembro, poderá ser a primeira muçulmana eleita para o Congresso dos EUA.

Ela se juntou à também democrata e muçulmana Rashida Tlaib, que ganhou a primária da qual participou em Michigan na semana passada.

Os distritos em que Ilhan e Rashida concorrem são considerados progressistas, então é provável que as duas compartilhem a honra de ser as primeiras muçulmanas a chegar ao Congresso.

E no Kansas, onde as primárias também aconteceram na semana passada, seu atual governador, Jeff Colyer, reconheceu sua derrota para o candidato de Trump, o polêmico Kris Kobach, que como secretário de Estado controlava o sistema eleitoral.

Kobach venceu as eleições primárias por um décimo, 40,6% a 40,5% uma diferença de um pouco mais de 300 votos.