Casa Branca adverte China para que “não subestime” Trump

  • Por Agência EFE
  • 03/08/2018 16h01
EFE/ Ian Langsdon"Sua economia é frágil, sua divisa é frágil, o povo está saindo do país. Não subestime a determinação do presidente Trump de prosseguir com pressão", indicou o assessor

O assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, advertiu nesta sexta-feira (3) a China para que “não subestime a determinação” do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a respeito das relações comerciais mútuas, após o anúncio de represálias por parte de Pequim à nova ameaça de tarifas de Washington.

“Sua economia é frágil, sua divisa é frágil, o povo está saindo do país. Não subestime a determinação do presidente Trump de prosseguir” com sua pressão, indicou Kudlow em entrevista ao “Bloomberg”.

O assessor ressaltou que o que o governo americano quer “são reformas comerciais” e destacou que, por enquanto, “a China não está cumprindo”.

Kudlow respondeu assim ao anúncio da China de que está preparada para impor novas tarifas a produtos dos EUA por um montante equivalente a US$ 60 bilhões, depois que a Casa Branca ameaçou Pequim com o aumento de 10% a 25% das tarifas alfandegárias para as importações de produtos do país asiático no valor de US$ 200 bilhões.

Nesta quinta-feira o governo chinês pediu ao dos EUA que “volte à sensatez” e abandone uma tática de “chantagens”, que segundo Pequim prejudica ambas as partes.

Além disso, Kudlow avaliou positivamente os recentes avanços nas negociações comerciais dos EUA com a União Europeia (UE), o que proporcionará uma “frente unida” contra a China.

Trump chegou a um acordo na semana passada com o presidente da UE, Jean-Claude Juncker, para dar uma trégua às tensões comerciais entre as partes e trabalhar para reduzir as barreiras comerciais mútuas.