Casa Branca: Ausência de acordo com Coreia do Norte não significa ‘fracasso’

  • Por Jovem Pan
  • 03/03/2019 14h26
EFEO principal objetivo da reunião, realizada em Hanói, capital do Vietnã, era levar o país asiático a abrir mão de seu arsenal nuclear

A segunda reunião de cúpula entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, terminou sem um acordo, mas representantes da Casa Branca dizem não considerar o resultado um “fracasso”. O principal objetivo da reunião, realizada em Hanói, capital do Vietnã, era levar o país asiático a abrir mão de seu arsenal nuclear.

Para John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, a incapacidade de Trump em persuadir os norte-coreanos a eliminar seu arsenal nuclear em termos aceitáveis para os EUA deveria ser vista como “um sucesso”. Na leitura de Bolton, o que se viu foi um presidente “protegendo e avançando nas negociações de acordo com os interesses nacionais”.

Em entrevista ao programa “Face the Nation”, da rede CBS, Bolton afirmou que a principal questão era se a Coreia do Norte estava preparada para aceitar o que Trump chamou de “o grande acordo” – o que implicaria na total desnuclearização.

Segundo Trump, Kim insistiu que os EUA retirassem todas as sanções, mas em contrapartida ofereceu desmantelar apenas o complexo nuclear de Yongbyon, o que não foi aceito pelos negociadores. Pyongyang, por sua vez, diz ter exigido uma retirada somente parcial das sanções.

*Com Estadão Conteúdo