Casa Branca condena teste de míssil da Coreia do Norte

  • Por Estadão Conteúdo
  • 28/07/2017 20h26
MCX34 WASHINGTON DC (ESTADOS UNIDOS) 20/01/2017.- Vista de la Casa Blanca al amanecer en Washington DC (Estados Unidos) hoy, 20 de enero de 2017. El presidente electo, Donald Trump, junto con su esposa y familia, el vicepresidente, Mike Pence, y miembros de su equipo dio hoy inicio al día en que será investido presidente de Estados Unidos con la asistencia a un servicio religioso en una iglesia frente a la Casa Blanca. EFE/Kevin Dietsch / PoolAo ameaçar o mundo, essas armas e testes isolam ainda mais a Coreia do Norte, enfraquecem sua economia e cercam seu povo. Os Estados Unidos tomarão todos os passos necessários para garantir a segurança do território americano e proteger nossos aliados na região", diz o comunicado

A Casa Branca emitiu um comunicado nesta sexta-feira condenando o novo teste de míssil da Coreia do Norte, o segundo do mês, e rejeitando a alegação do regime de Kim Jong-un de que esses testes garantem a segurança do país.

“Na realidade, eles têm o efeito oposto. Ao ameaçar o mundo, essas armas e testes isolam ainda mais a Coreia do Norte, enfraquecem sua economia e cercam seu povo. Os Estados Unidos tomarão todos os passos necessários para garantir a segurança do território americano e proteger nossos aliados na região”, diz o texto.

A Coreia do Norte disparou um míssil balístico de capacidade intercontinental no início da tarde desta sexta-feira, fim de noite em Pyongyang. Foi o primeiro teste do país desde 4 de julho, quando o país avaliou o alcance de outro míssil com capacidade para chegar até os Estados Unidos. O projétil de hoje viajou cerca de 1 mil quilômetros antes de cair no Mar do Japão.