Casos de varíola dos macacos crescem na Europa e deixam OMS em alerta

Vírus foi relatado em onze países que não costumam ter registros da doença; infecções também foram registradas fora do continente europeu

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2022 14h58 - Atualizado em 20/05/2022 15h01
CDC/Brian W.J. Mahy/Divulgação via REUTERS Varíola dos macacos Varíola dos macacos já está presente em mais de 20 países

Após a confirmação de casos de varíola dos macacos no Reino Unido, países da Europa como Portugal, Espanha e Alemanha começaram a detectar infecções da doença e deixaram a Organização Mundial da Saúde (OMS) em alerta. Segundo o órgão, até o momento o vírus foi relatado em onze países que não costumam ter registros da doença. São 80 casos confirmados e 50 em investigação. A Direção Geral de Saúde de Portugal (DGS) anunciou nesta sexta-feira, 20, a detecção de mais nove casos de varíola dos macacos, o que eleva para 23 o total no país. O Reino Unido vem atrás, com 20 casos positivos. Alemanha, Austrália, Bélgica, Canadá e França confirmaram os primeiros casos nesta sexta. Países fora do continente europeu também relataram diagnósticos.

A doença pode ser transmitida por contato físico, objetos e roupas contaminadas com o vírus ou através da saliva. Os sintomas mais comuns incluem feridas e bolhas pelo corpo, febre, dor de cabeça, dores musculares e desânimo. Não existe uma vacina específica para a varíola dos macacos, mas o imunizante contra a varíola oferece 85% de proteção, segundo a OMS. A organização publicou recomendações para a prevenção da doença. É necessário se isolar e procurar um médico em caso de sintomas, evitar contato próximo com pessoas infectadas, ou utilizar máscara, e lavar as mãos e objetos tocados com frequência.