Cesare Battisti confessa assassinatos em depoimento à Justiça italiana

  • Por Jovem Pan
  • 25/03/2019 10h32 - Atualizado em 25/03/2019 10h52
Alisson Gontijo/Estadão Conteúdo

O italiano Cesare Battisti admitiu à Justiça italiana ter cometido os quatro assassinatos dos quais era acusado de cometer no final dos anos 70. A confissão foi feita ao promotor Alberto Nobili, segundo o jornal Corriere della Serra.

Em coletiva de imprensa, o procurador de Milão, Francesco Greco, disse que Battisti se declarou responsável por todas as acusações nas mortes e ainda pelo ferimento de três pessoas entre 1977 e 1979.

“Quando matei para mim foi uma guerra justa”, disse Battisti em depoimento. “Percebo o mal que causei e peço desculpas às famílias”.

O italiano foi membro do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), um braço das Brigadas Vermelhas, e foi condenado à prisão perpétua pelos crimes, que negava ter cometido. Após décadas foragido na França e no México, Battisti se instalou em 2004 no Brasil, onde permaneceu escondido até sua primeira detenção, em 2007.

Após idas e vindas nos pedidos de extradição do ex-guerrilheiro e depois de seguidas fugas, Battisti foi preso em janeiro na cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. O presidente Jair Bolsonaro, então, ratificou a autorização de envio do italiano ao país de origem, concedida pelo antecessor, Michel Temer.