Coronavírus: Chile adia plebiscito e eleições municipais do país

  • Por Jovem Pan
  • 25/03/2020 12h37
EFE/Elvis GonzálezA mudança na data do plebiscito também alterou o restante do calendário eleitoral levando as eleições municipais para abril de 2021

A Câmara dos Deputados do Chile aprovou o adiamento do plebiscito para alterar a atual Constituição do país, que está vigente desde a ditadura de Augusto Pinochet.

A votação, que estava marcada para o dia 26 de abril, passou para o dia 25 de outubro deste ano devido pandemia do novo coronavírus.

Há uma semana, o presidente chileno, Sebastián Piñera, declarou estado de catástrofe por 90 dias devido ao aumento de casos da doença. O Chile tem hoje 922 casos confirmados e duas mortes pelo novo coronavírus.

A medida concede ao governo poderes para restringir a liberdade de movimento e garantir o fornecimento de alimentos e serviços básicos.

Mudança

A reforma da Carta Magna chilena é uma das principais reivindicações dos manifestantes que fazem protestos desde outubro do ano passado reivindicando um sistema mais inclusivo e que garanta melhores condições de vida.

Os movimentos sociais veem essa possível reforma como uma oportunidade para realizar a primeira Assembleia Constituinte na história do país.

A mudança na data do plebiscito também alterou o restante do calendário eleitoral. As eleições municipais do país, que estavam marcadas para acontecer em outubro, foram reagendadas para abril de 2021.

*Com informações da Agência Brasil