Chile cancela duas cúpulas internacionais devido aos protestos

De acordo com o presidente do país, Sebastián Piñera, a primeira preocupação do governo é ‘restaurar completamente a ordem pública’

  • Por Jovem Pan
  • 30/10/2019 15h18 - Atualizado em 31/10/2019 10h07
EFEApós uma série de concessões feitas pelo presidente chileno, os protestos no país ainda continuam nas ruas do país

Em um pronunciamento no Palácio de La Moneda, sede do governo chileno, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou nesta quarta-feira (30) o cancelamento da realização de duas cúpulas internacionais, a Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) e a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP25).

“Nossa primeira preocupação e prioridade como governo é concentrar-nos, primeiro, em restaurar completamente a ordem pública, a segurança dos cidadãos e a paz social; segundo, promover com toda a força e urgência a nova agenda social necessária para responder às principais demandas de nossos cidadãos; e terceiro, promover um amplo e profundo processo de diálogo para ouvir nossos compatriotas”, afirmou Piñera, acompanhado pelos ministros das Relações Exteriores, Teodoro Ribera, e do Meio Ambiente, Carolina Schmidt.

“Nosso governo, com muita dor, porque isso é uma dor para o Chile, resolveu não realizar a cúpula da Apec nem a cúpula da COP. Sentimos e lamentamos profundamente os problemas e inconvenientes que esta decisão significará para ambas as cúpulas”, disse Piñera, ao reconhecer a importância de ambos eventos para o Chile e para o mundo.

O presidente reiterou, no entanto, a importância de, neste momento, priorizar o diálogo com cidadãos e forças políticas do país, para conquistar a aprovação, no Congresso, de leis que permitam a concretização de uma agenda social. “Como presidente de todos os chilenos, eu sempre tenho que colocar em primeiro lugar os problemas e interesses dos chilenos, suas necessidades, desejos e esperanças”.

O presidente chileno disse ainda que ratifica o compromisso do país com a Apec, “que é a organização que busca o maior e mais importante livre comércio do mundo, que reúne 21 economias”. Ele lembrou que a participação do Chile na Apec é um instrumento poderoso para criar mais e melhores empregos para os cidadãos, gerar oportunidades para as empresas, especialmente micro, pequenas e médias, e criar condições para uma vida de melhor qualidade para os chilenos.

“Também quero ratificar nosso compromisso total com a COP e com sua disposição de combater e enfrentar as mudanças climáticas e o aquecimento global. O Chile nesta área tem uma liderança clara, firme e reconhecida”, disse Piñera.

A Conferência da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, que reuniria presidentes de 21 países e tem como objetivo a promoção do livre comércio na região da Ásia-Pacífico, estava marcada para acontecer entre os dias 16 e 17 de novembro. A COP25, aconteceria entre os dias 2 e 13 de dezembro.

*Com informações da Agência Brasil