China intensifica medidas para conter aumento de casos importados de coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 23/03/2020 10h46
EFE/EPA/MIGUEL CANDELAO número total de pessoas infectadas na China desde o início da pandemia é de 81.093, das quais 3.270 morreram

Os casos do novo coronavírus que chegam do exterior continuam aumentando na China, que decidiu adotar medidas mais rígidas na alfândega e desviar, a partir desta segunda-feira (23), voos que tem Pequim como destino para outras 12 cidades do gigante asiático.

Nas últimas 24 horas, a China detectou 39 novos casos em viajantes que chegaram ao país provenientes de outros surtos da pandemia. O número, no entanto, é mais baixo do que registrado no domingo (22), quando foram atingidos o recorde de 45 infecções.

Além disso, depois de quebrar uma sequência de três dias sem diagnosticar nenhuma infecção local, o país asiático colocou novamente um zero nesta caixa. As informações são da Comissão Nacional de Saúde da China.

A agência também informou que o número de mortes pela Covid-19 foi de nove pessoas. É o quinto dia consecutivo em que essa estatística permanece em um dígito.

Além disso, todas as mortes ocorreram na província de Hubei, e, especificamente, em sua capital Wuhan, com cerca de 11 milhões de habitantes e epicentro do surto. No entanto, nem Hubei nem Wuhan registraram novas infecções pelo quinto dia consecutivo, segundo a comissão.

O medo de que casos importados desencadeiem uma nova onda de contágio levou ontem a Administração de Aviação Civil da China a anunciar que, a partir de hoje, todos os voos internacionais para Pequim devem primeiro desviar para um dos 12 outros aeroportos em outras cidades.

Na chegada, os passageiros passam por exames de saúde antes de poder continuar sua jornada para a capital. A Administração Geral das Alfândegas também anunciou medidas mais rigorosas que incluem a desinfecção de veículos e quarentenas nos portos para as pessoas que entram no país.

O número total de pessoas infectadas na China desde o início da pandemia é de 81.093, das quais 3.270 morreram.

Além disso, 72.703 pessoas também receberam alta após se curarem, de modo que o número de infectados ativos na China é de 5.120, dos quais 1.749 estão em estado grave.

*Com informações da EFE