China pede respeito mútuo e a regras da OMC para chegar a acordo no G20

  • Por Jovem Pan
  • 24/06/2019 08h48
Pixabay"Os princípios da China são o respeito mútuo, tratar o outro como um igual e respeitar as regras da OMC. O compromisso deve ser das duas partes", afirmou em referência ao encontro de Xi e Trump em Osaka durante a cúpula, que será realizada nos dias 28 e 29 de junho.

O presidente da China, Xi Jinping, vai pedir ao dos Estados Unidos, Donald Trump, respeito mútuo e às regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) quando ambos se reunirem na próxima Cúpula do Grupo dos Vinte (G20) em Osaka (Japão) para tentar resolver a guerra comercial entre os dois países.

Assim disse nesta segunda-feira o vice-ministro de Comércio chinês, Wang Shouwen, em entrevista coletiva sobre a posição chinesa no G20, e confirmou que as equipes negociadoras de ambas as potências – que Wang integra pela parte chinesa – estão tendo conversas discretas nos últimos dias, embora não tenha revelado nenhum detalhe sobre as mesmas.

“Os princípios da China são o respeito mútuo, tratar o outro como um igual e respeitar as regras da OMC. O compromisso deve ser das duas partes”, afirmou em referência ao encontro de Xi e Trump em Osaka durante a cúpula, que será realizada nos dias 28 e 29 de junho.

Wang destacou que o “unilateralismo e o protecionismo reduziram o crescimento econômico mundial e criaram incerteza”, ressaltou que esperam “diálogo” para resolver os problemas.

Além disso, Wang afirmou que a China apoia o “consenso” para reformar a OMC e considerou que o G20 “deve apoiar o livre-comércio, não discriminatório e transparente”, assim como promover “a profunda integração entre o comércio e a economia digital”.

“O acordo sobre o conflito comercial com os Estados Unidos tem que ser benéfico para ambas as partes, as duas têm que se comprometer e fazer concessões, não só uma delas”, destacou Wang.

O ministro adjunto de Exteriores chinês, Zhang Jun, afirmou que a Cúpula do G20 vai acontecer em um momento em que a economia enfrenta “mais riscos e incertezas”, afirmando que a China levará para a reunião seu “papel construtivo”.

Jun anunciou que Xi terá várias reuniões bilaterais em Osaka e participará, além disso, da reunião dos presidentes dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), cuja próxima cúpula acontece no Brasil nos dias 13 e 14 de novembro.

*Com informações da EFE.