Na China, últimas duas regiões reduzem nível de alerta contra Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 08/05/2020 11h27 - Atualizado em 08/05/2020 11h27
Wu Hong/EFESegundo o governo local, a China não registrou mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

A província de Guangzhou e o sudeste de Xangai se tornaram as duas últimas regiões da China que decidiram diminuir níveis de alerta devido ao aparente controle da Covid-19 no país.

De acordo a agência de notícias estatal Xinhua, as regiões, duas das mais importantes da China, tanto nacional quanto internacionalmente, passarão do segundo para o terceiro nível na escala nacional de alertas de saúde, que consiste em quatro.

As autoridades de Xangai, capital econômica do país, lembraram que não registram nenhum caso de transmissão local do coronavírus SARS-CoV-2 desde 3 de março.

No dia 24 de janeiro, foi ativado o nível de alerta 1 e, dois meses depois, em 24 de março, foi reduzido para o segundo. Apesar dessa nova situação, o uso de uma máscara continuará sendo recomendado, especialmente em áreas fechadas, e será obrigatório nos transportes públicos, centros médicos ou escolas.

O governo de Xangai também regulamentou o uso de ar condicionado, que é muito popular nas áreas costeiras da China devido ao intenso calor úmido do verão, com obrigações de empresas em desinfetar ou alterar partes importantes dos sistemas centrais, como filtros, que serão inspecionados por técnicos municipais.

Por sua vez, a Comissão de Saúde de Guangzhou, uma província historicamente dedicada ao comércio exterior, disse que, apesar de diminuir o nível de alerta de saúde amanhã, continuará se concentrando em impedir o aparecimento de contágios importados de outros países.

Nesta região sul, parques, áreas naturais, locais de entretenimento e outros estabelecimentos públicos serão abertos gradualmente, e o acesso será regulado por meio de sistemas de reservas on-line com antecedência, bem como com limitações de capacidade para evitar multidões.

Atualmente, o foco da pandemia na China parece estar na província de Heilongjiang, no nordeste da fronteira, onde ocorreu um aumento nos casos nas últimas semanas devido ao afluxo de cidadãos chineses retornando da Rússia, embora as autoridades continuem considerando o risco na área é baixo.

Segundo o último relatório parte oficial da Comissão Nacional de Saúde, existem apenas 260 casos ativos de Covid-19 no país, dos quais 18 estão em estado grave. Nas últimas 24 horas, 36 pacientes que haviam superado a doença receberam alta.

Até agora, 82.886 infectados foram registrados oficialmente na China, dos quais 4.633 morreram e outros 77.993 tiveram alta.

*Com informações da Agência EFE