‘Chuva de raios’ pode ter desencadeado incêndio no mar do Golfo do México, diz estatal

Pemex divulgou nota explicando suposta série de fatores que provocou o surgimento do fogo na última sexta-feira

  • Por Jovem Pan
  • 06/07/2021 11h08 - Atualizado em 06/07/2021 14h40
Reprodução/Twitter @mgcipoIncêndio no mar do Golfo do México não deixou feridos

A empresa Petroleos Mexicanos (Pemex), estatal responsável pela administração de parte da extração de petróleo do Golfo do México, afirmou nesta segunda-feira, 5, que uma “cadeia de eventos” pode ter sido responsável pelo incêndio de grandes proporções registrado dentro do mar na última sexta-feira, 2. As imagens do fogo no oleoduto de propriedade da estatal, localizado a cerca de 400 metros de uma plataforma de perfuração no campo de Ku-Maloob-Zaap, viralizaram nas redes sociais. Segundo a Pemex, uma intensa tempestade de raios obrigou a companhia a fechar as estações de bombeamento que abastecem a plataforma petrolífera nas imediações do local do incêndio. Simultaneamente, um vazamento em um cano debaixo do oceano teria permitido que uma grande quantidade de gás natural subisse até a superfície. Ao ser atingido por um dos raios, o gás entrou em combustão e causou o incêndio. A empresa informou que nenhum petróleo cru foi derramado na água e disse que enviou imediatamente ao local do incêndio barcos para jogar água sobre as chamas. No comunicado, a Pexmex afirmou que as causas do incêndio continuam sendo investigadas e a tubulação que apresentou vazamento de gás ainda está sendo reparada. Nenhuma pessoa ficou ferida.