Cidade do México diz que ivermectina reduziu internações por Covid-19 em até 76%

O fármaco desenvolvido para o tratamento de infecções por parasitas foi utilizado por 220 mil pacientes contaminados pelo novo coronavírus na capital em janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2021 14h54 - Atualizado em 18/05/2021 20h25
DUDU CONTURSI/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDOA Organização Mundial da Saúde (OMS) se posicionou contra o uso da ivermectina para tratar a Covid-19

O governo da Cidade do México afirmou nesta sexta-feira, 14, que houve uma redução de 52% a 76% na probabilidade de internações entre as pessoas com Covid-19 que usaram ivermectina, fármaco desenvolvido para o tratamento de infecções por parasitas. Os dados foram coletados durante um estudo realizado em janeiro pelo Instituto Mexicano de Seguridade Social (IMSS) em parceria com a Secretaria de Saúde da capital, em que mais de 220 mil pacientes contaminados pelo novo coronavírus recebiam um kit com ivermectina e ácido acetilsalicílico. No final de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu contra o uso desse medicamento para tratar a Covid-19, independentemente da gravidade e duração dos sintomas, porque foram encontradas poucas evidências de que ele seja benéfico em termos de redução de mortalidade, risco de ventilação mecânica e necessidade de internação hospitalar. Pouco antes, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) também desaconselhou o uso da ivermectina contra o novo coronavírus.

* Com informações da EFE