Cientistas encontram em Oregon nova variante do coronavírus com ‘mutação preocupante’

Cepa tem traços da encontrada na Grã-Bretanha e com mutação semelhante a da África do Sul

  • Por Jovem Pan
  • 07/03/2021 17h39
EFE / EPA / CJ GUNTHERVariante encontrada no Oregon tem traços da encontrada na Grã-Bretanha e na África do Sul

Cientistas em Oregon, nos Estados Unidos, encontraram uma nova variante da Covid-19 que parece ser mais letal e menos suscetível a vacinas. De acordo com o The New York Times, a variante apareceu pela primeira vez na Grã-Bretanha, mas tem uma mutação originalmente relatada na África do Sul. Até o momento, somente um caso foi diagnosticado e a análise genética sugeriu que a variante havia sido adquirida na comunidade e não surgiu no paciente. “Não importamos isso de nenhuma outra parte do mundo – ocorreu espontaneamente”, disse Brian O’Roak, geneticista da Oregon Health and Science University que liderou o trabalho.

A variante da Grã-Bretanha, chamada de B.1.1.7., tem se espalhado rapidamente pelos Estados Unidos e já foi diagnosticada em 2.500 casos, em 46 estados. Considerada mais contagiosa e mais mortal do que a versão original, a versão que surgiu no Oregon é uma mutação E484K ou “Eek”, também encontrada nas variantes que circulam na África do Sul, no Brasil e em Nova York. Segundo estudos africanos, essa mutação torna as vacinas atuais menos eficazes em produzir resposta imunológica ao corpo.

Os cientistas norte-americanos acham que ainda é cedo para saber se essa variante de Oregon se comportará como as da África do Sul ou do Brasil. “As pessoas não precisam pirar, mas continuar vigilantes. Não podemos baixar a guarda ainda enquanto houver essas variantes mais transmissíveis circulando”, afirmou a especialista em genômica computacional da Universidade da Califórnia, Stacia Wyman.