Colômbia vive 2º dia de greve geral em uma semana contra o governo de Iván Duque

Colombianos cruzaram os braços pela segunda vez e fazem manifestação pacífica na capital Bogotá

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2019 19h53
EFE/Juan Zarama PeriniO dia foi marcado por protestos e greve geral na Colômbia

A Colômbia vive nesta quarta-feira (27) a segunda greve geral contra as políticas econômicas e sociais do governo do presidente do país, Iván Duque. A paralisação é marcada por protesto nas ruas de Bogotá, que conta com a adesão de milhares de pessoas.

A Carrera Séptima, uma das principais avenidas da capital, foi tomada por uma multidão que se manifesta de maneira festiva. Pessoas com instrumentos musicais caminham pelas ruas, enquanto outras promovem atos circenses, entre outras atividades.

Parte das pessoas estão vestidas de preto, com lenços azuis e amarelos no pescoço. Também são vistas muitas bandeiras da Colômbia, assim como da comunidade LGBTI.

Na marcha há diversas menções a Dilan Cruz, jovem de 18 anos que morreu nesta segunda-feira (25), após ser ferido, dois dias antes, por um artefato disparado por homens do Esquadrão Móvel Antidistúrbios da Polícia.

Nas ruas, também é possível ver diversas menções ao Chile em meio ao público, em referência aos protestos que aconteceram contra medidas do governo do presidente Sebastián Piñera, que, inclusive, já anunciou que uma nova Constituição será promulgada no país.

As manifestações acontecem em diversos pontos de Bogotá, com acusações de corrupção no governo da Colômbia, cobrança por empregos mais dignos e apelos pela defesa da população rural.

*Com EFE