Com poder vazio e conflitos, sobe para 4 o número de mortos na Bolívia

O coronel Herbert Antelo, comandante da Unidade Táctica de Operação Policial (UTOP) de La Paz, morreu após sofrer um acidente de trânsito ao tentar desviar de uma dinamite jogada em direção ao seu carro

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2019 17h33
EFEProtestos na Bolívia

O número de mortos devido à crise na Bolívia subiu para quatro nesta terça-feira (12), após a confirmação da morte de um comandante da unidade de operações especiais da polícia de La Paz, que sofreu um acidente de trânsito na cidade enquanto trabalhava na contenção de protestos.

O coronel Herbert Antelo, comandante da Unidade Táctica de Operação Policial (UTOP) de La Paz, se acidentou ao tentar desviar de um cartucho de dinamite. De acordo com a polícia, ele acabou se chocando com um micro ônibus.

O uso da dinamite por parte dos manifestantes têm sido habitual durante os conflitos ocorridos na Bolívia desde 20 de outubro, quando a oposição denunciou uma suposta fraude nas eleições presidenciais.

Antelo sofreu o acidente no domingo passado, quando integrava uma operação para controlar os protestos que foram organizados após Evo Morales renunciar à presidência da Bolívia.

O acidente ocorreu em uma estrada que liga La Paz, sede do governo e do Parlamento, a El Alto, a segunda cidade mais povoada do país. Antelo foi transferido a um hospital de La Paz para ser atendido com urgência, onde morreu horas depois.

Nesta manhã, o corpo do comandante foi levado pelos companheiros de trabalho às instalações da UTOP no centro de La Paz, onde acontecerá o velório.

Em comunicado, a polícia boliviana afirmou que a morte de Antelo aconteceu enquanto o agente tentava “interceptar grupos de delinquentes que tentavam criar inquietação”. “É um exemplo de sacrifício dos efetivos da ordem, que oferecem suas vidas para salvar a de qualquer cidadão”, descreveu a polícia.

*Com informações da EFE