Confrontos deixam mais de 800 feridos durante referendo na Catalunha

  • Por EFE
  • 01/10/2017 11h41
EFE/Jaume SellartPoliciais isolam colégios eleitorais e agridem eleitores em Tarragona para tentar evitar referendo sobre a independência da Catalunha

Pelo menos 844 pessoas ficaram “feridas ou contundidas” neste domingo (1) em distúrbios entre cidadãos e forças da ordem nos centros de votação do referendo sobre a independência da região da Catalunha, segundo as autoridades catalãs.

O Ministério do Interior da Espanha indicou que 33 policiais também ficaram levemente feridos ao apreenderem urnas para impedir a votação, conforme ordenou a Justiça, o que gerou momentos de tensão.

A pasta pediu tranquilidade nas ruas e colaboração e respeito nos centros de votação para que as forças de segurança possam cumprir a ordem judicial de impedir de forma pacífica a realização da consulta popular, suspensa pelo Tribunal Constitucional do país.

Manifestantes registram agressões da polícia nas redes sociais:

O porta-voz do governo catalão, Jordi Turull, atribuiu os feridos e contundidos à violência “policial do Estado” e os aconselhou a comparecer a centros de saúde para obter um atestado médico e apresentar uma denúncia à polícia da região (Mossos d’Esquadra).

Turull responsabilizou o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, pelos incidentes, entre os quais também mencionou uma “agressão” à conselheira regional de Ensino, Clara Pontsatí.

O ministro de Interior espanhol, Juan Ignacio Zoido, explicou que os agentes têm encontrado situações “complicadas”. Segundo Zoido, em apenas um caso foi necessária a utilização de métodos de defesa devido a um “encurralamento”.