Coquetel de anticorpos da Regeneron previne a Covid-19 sintomática em 81% dos casos, afirma estudo

O medicamento ajudou a diminuir o risco de infecções em lares onde mais alguém já estava doente, sendo que os participantes que adoecerem tiveram sintomas mais leves e com permanência menor

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2021 18h02
EFE/José Jácome/ArchivoO Regeneron pediu à FDA autorização para uso do coquetel em pacientes hospitalizados dos EUA

A farmacêutica Regeneron divulgou nesta segunda-feira, 12, resultados de ensaios clínicos que mostram que o seu coquetel de anticorpos monoclonais produz uma forte proteção contra a Covid-19. A pesquisa envolveu mais de 1.500 pessoas que estavam vivendo na mesma casa que alguém que testou positivo para o novo coronavírus. Aqueles que receberam o REGEN-COV tiveram 81% menos chances de adoecer em comparação com outros voluntários que tomaram um placebo. Em outro teste separado, os números indicaram que a administração desse medicamento pode prevenir que pacientes já infectados desenvolvam sintomas mais graves da doença em 76% dos casos após o terceiro dia. Dessa forma, a empresa afirmou que pediria à Food and Drug Administration (FDA), a agência reguladora dos Estados Unidos, uma autorização para uso em pessoas hospitalizadas com Covid-19.O medicamento está liberado em caráter emergencial e foi utilizado pelo ex-presidente Donald Trump quando ele contraiu a doença no ano passado. O coquetel do Regeneron, administrado por injeção subcutânea, combina duas drogas projetadas para imitar os anticorpos gerados naturalmente quando o sistema imunológico é exposto ao novo coronavírus, o Casirivimab e o Imdevimab. A pesquisa está na terceira fase de estudos clínicos e até o momento não há nenhuma comprovação científica de que há medicamentos que possam ser usados no combate à Covid-19.