Coreia do Norte diz que continuará realizando testes de mísseis no Pacífico

  • Por Estadão Conteúdo
  • 29/08/2017 22h00
c01 (COREA DEL NORTE), 03/08/2016.- Fotografía de archivo sin fechar proporcionada por la agencia estatal de noticias norcoreana KCNA, que muestra un misil balístico estratégico tierra a tierra Hwasong-10, también llamado Musudan, durante su lanzamiento en una localidad no revelada de Corea del Norte. Corea del Norte lanzó hoy, 3 de agosto de 2016, un misil balístico de medio alcance desde su costa suroccidental a las aguas del mar del Este (Mar de Japón), mientras un segundo proyectil explotó poco después de despegar, informó el Ministerio de Defensa de Seúl. Se trata de los primeros lanzamientos de Pyongyang desde el pasado 19 de julio, cuando realizó una prueba con dos misiles de corto alcance y un tercero de medio alcance. EFE/KCNA SÓLO USO EDITORIALLíder norte-coreano, Kim Jong-un não descarta uma operação militar na base de Guam, administrada pelos Estados Unidos

A Coreia do Norte garantiu que continuará a realizar testes de mísseis tendo o Pacífico como alvo, após ter efetuado o lançamento de um projétil que sobrevoou o Japão antes de cair no mar. A promessa foi feita em uma comunicado divulgado pela agência estatal norte-coreana KCNA.

De acordo com a publicação, o líder do país, Kim Jong-un, expressou “grande satisfação” com o mais recente teste de míssil e disse que o lançamento é o primeiro passo de uma operação militar no Pacífico. Pyongyang também alertou que o teste “é um prelúdio significativo para conter Guam”. No início do mês, a Coreia do Norte ameaçou lançar mísseis de médio a longo alcance no território de Guam, que é administrado pelos Estados Unidos e que contém bases militares americanas.

Para Kim Jong-un, o território de Guam é uma “base avançada de invasão”, sendo necessário acelerar os trabalhos para colocar a força estratégica do país em uma base moderna, “realizando mais exercícios de lançamento de mísseis balísticos”. De acordo com a KCNA, o último teste foi feito com o projétil Hwasong-12, de alcance intermediário. Além disso, os exercícios militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul foram usados como justificativa pela Coreia do Norte para o último lançamento.

Apesar de ter sobrevoado o Japão, “o míssil não representou impacto na segurança dos países vizinhos”, disse o líder norte-coreano. Fotos de Kim Jong-un acompanhando o teste foram divulgadas pela KCNA.