Coronavírus: EUA tem mais de 400 mil casos e 13 mil mortes

Curva de contágio vem se achatando em alguns estados, como Nova York, epicentro da pandemia no país

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2020 19h40
EFE/EPA/PAOLO SALMOIRAGOMortes fora dos hospitais não estão sendo contadas, a menos que o positivo para coronavírus já tenha sido confirmado antes

Os Estados Unidos superaram nesta quarta-feira (8) os 400 mil casos confirmados de Covid-19 e 13 mil mortes. Nova York continua sendo o epicentro da pandemia, com mais de 142 mil pessoas contagiadas, muito próximos dos números da Espanha, e com 6.268 mortos, após um novo recorde de 779 nesta segunda.

De acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, às 15h de hoje, os EUA acumularam 402.923 casos positivos e 13.007 mortes, que estão aumentando a uma taxa de quase 2 mil por dia.

As mortes fora dos hospitais não estão sendo contadas, a menos que o positivo para coronavírus já tenha sido confirmado antes. Por isso, as autoridades estimam que os números sejam ainda maiores. Apenas em Nova York, acredita-se que de 100 a 200 pessoas possam estar morrendo infectadas todos os dias em casa.

As contínuas sirenes de ambulância ouvidas na cidade e as imagens de corpos sem vida saindo dos hospitais para necrotérios improvisados ilustram a nova rotina da população, que usa máscaras ou outras formas caseiras de cobrir o rosto para ir às ruas.

Nova York achata curva

A boa notícia é que a curva de contágio vem se achatando no estado de Nova York, segundo informações do governador Andrew Cuomo. Ele destacou que as novas hospitalizações estão sendo significativamente reduzidas, o que impede o colapso no sistema de saúde.

“Se a taxa de hospitalizações continuar caindo, o sistema deverá se estabilizar nas próximas duas semanas, o que minimizará a necessidade da capacidade extra que construímos”, declarou Cuomo em entrevista coletiva nesta quarta.

O governador afirmou que os dados mostram que as medidas de contenção e o freio na atividade econômica estão funcionando, mas avisou que o número de vítimas pode continuar aumentando nos próximos dias.

Avanço nas comunidades rurais

Segundo o principal epidemiologista do Governo dos Estados Unidos, Anthony Fauci, esta semana vai ser ruim para o país em termos de mortes, mas espera-se que na próxima seja vista uma mudança. Nem por isso, segundo ele, pode haver um relaxamento das medidas para limitar o contágio.

Para responder à crise, os EUA estão cada vez mais concentrados na Califórnia, um dos primeiros focos. Com uma ação muito determinada, conseguiram limitar o número de registros, que ainda são inferiores a 18 mil em um estado com 40 milhões de habitantes.

Olhando para o futuro próximo, uma das principais preocupações é o avanço do vírus nas comunidades rurais, que têm menos recursos de saúde e, em geral, populações mais idosas, mais pobres e com mais problemas de saúde.

De acordo com as autoridades, o SARS-CoV-2 já atingiu mais de dois terços dos condados rurais do país, e um em cada dez já registrou mortes.

Até agora, o Covid-19 causou mais mortes nas comunidades negras e latinas.

* Com EFE