Covid-19: Estados Unidos revogam liberação de urgência para uso de cloroquina

O documento foi publicado nesta segunda-feira (15) pela FDA (Food and Drug Administration)

  • Por Jovem Pan
  • 15/06/2020 13h58 - Atualizado em 15/06/2020 14h08
CADU ROLIM/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOCloroquina, Hidroxicloroquina

A agência reguladora norte-americana FDA (Food and Drug Administration), órgão do governo dos Estados Unidos, revogou a permissão de emergência para o tratamento com cloroquina e hidroxicloroquina contra a Covid-19.

O órgão afirmou em documento nesta segunda-feira (15) que “não é mais razoável acreditar que as formulações orais de hidroxicloroquina e de cloroquina podem ser eficazes”.

Depois de consultar novas informações de grandes ensaios clínicos, a agência acredita que as doses sugeridas para o tratamento da Covid-19 “provavelmente não produzem um efeito antiviral”, disse a cientista chefe da FDA, Denise Hinton, ao comunicar a decisão.

O tratamento com medicamento vem sendo defendido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Recentemente, a revista científica Lancet retirou do ar um estudo que questionava a eficácia da cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19. A pesquisa com 96 mil pacientes mostrava que o uso das substâncias poderia aumentar o risco de morte por arritmia cardíaca.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia e concentram mais de 1 milhões de casos confirmados e 115.827 mortes pela doença provocada pelo novo coronavírus.

No final de março, a FDA havia autorizado o uso dos medicamentos para pacientes hospitalizados com Covid-19. De acordo com o órgão, como o medicamento também é usado em outros tratamentos (lúpus, artrite e malária), os médicos ainda podem receitá-lo como “off label” para pacientes com Covid-19.