Crise na Argentina: greve geral esvazia as ruas de Buenos Aires

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2018 19h09
David Fernández/EFECidade permaneceu completamente parada durante todo o dia

Sindicatos, organizações e militantes de esquerda realizaram uma greve geral nesta terça-feira (25) que esvaziou as ruas de Buenos Aires, capital da Argentina, durante todo o dia. A ação foi tomada como protesto contra medidas impopulares do governo do presidente Mauricio Macri para enfrentar a crise que acomete o país.

Com linhas de ônibus canceladas e estações de metrô fechadas, grande parte dos cidadãos locais foram dispensados de seus trabalhos e preferiram não sair de casa. Ao mesmo tempo, manifestantes se aglomeraram em alguns pontos turísticos, como a Ponte Pueyrredón, o Obelisco e a Praça de Maio, onde fica a Casa Rosada, sede da presidência.

De acordo com Silvia Saravia, coordenadora nacional do movimento social “Barrios de Pie”, o movimento ganhou força, entre outros aspectos, por causa do acordo que o governo está renegociando com o Fundo Monetário Internacional (FMI) esta semana nos Estados Unidos.

“Isso se traduz em um ajuste muito forte. O orçamento que o Congresso Nacional propôs é bastante claro”, disse ela sobre o projeto de Orçamento para 2019, lembrando que as pessoas têm que enfrentar “inflação, aumento das tarifas e falta de trabalho”.

“Macri está interessado em governar para os ricos. Dizia que teríamos pobreza zero. Essa pobreza zero nunca chegou. Ao contrário, continua crescendo a indigência. E isso do FMI, sabemos perfeitamente que vai fazer um acordo, mas está errado”, completou Ofelia Góngora, também do “Barrios de Pie”.

Além dos protestos na capital, houve manifestações nas províncias de Tucumán, San Luis, Salta, Mendoza e La Rioja.

*Com informações da EFE