Eleições na Colômbia: Candidatos trocam farpas sobre fraudes em dia de segundo turno

Senador Gustavo Petro e empresário Rodolfo Hernández travam disputa equilibrada, em cenário polarizado; urnas serão fechadas às 18h, no horário de Brasília

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2022 13h40
EFE/ Mauricio Dueñas Castañeda Gustavo Petro segura cédula de votação Senador de esquerda Gustavo Petro mostra seu voto dado neste domingo, 19, em um colégio eleitoral em Bogotá, na Colômbia

O senador de esquerda Gustavo Petro e o empresário Rodolfo Hernández, que disputam o segundo turno das eleições presidenciais da Colômbia neste domingo, 19, trocaram farpas nas redes sociais sobre o risco de fraude no pleito. As urnas se fecham às 18 horas, no horário de Brasília. O resultado será divulgado nas horas seguintes. As pesquisas de intenção de voto divulgadas até o momento indicam um empate entre os candidatos. Os dois já votaram. Esta é a primeira em cerca de duas décadas que a eleição colombiana não contarão com um nome ligado ao ex-presidente Álvaro Uribe.

“As pesquisas nos colocam bem acima do outro candidato, todas serão publicadas. A única coisa que nos resta é lidar com a fraude. Para isso é preciso votar, cada júri ou testemunha deve tirar fotos do E14 da sua mesa e compará-lo com o publicado pelo cartório”, escreveu Petro em seu perfil no Twitter. Em outra publicação, o parlamentar disse que os mesários têm entregado cédulas de votação “com um ponto marcado na votação em branco”, o que anula o voto do eleitor. “Eles entregam em nossas áreas de alta votação cédulas com um ponto marcado na votação em branco. Se os vir, envie-nos uma foto e peça outro cartão para que não anulem o seu voto. Olho”, afirmou. Hernández rebateu e declarou que “na democracia, a única medida válida é o escrutínio”. “Não insista em criar um ambiente de fraude baseado em fofocas. Como assim o escrutínio que o favoreceu com mais de 500.000 votos em 13 de março foi válido e agora o que ele pretende afirmar são suas ‘medidas’?. Seja sério”, tuitou.