Após reunião, Rússia afirma que vai ‘reduzir radicalmente’ ataques à Ucrânia

Alexandre Fomine citou o avanço por um acordo entre os países envolvendo a ‘neutralidade e o status não nuclear da Ucrânia’

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2022 09h58 - Atualizado em 29/03/2022 10h26
Russian Defence Ministry / AFP Tanque russo avança na Ucrânia Região de Kiev é uma das que será beneficiada pela redução da atividade militar

Depois de mais de um mês de conflitos em diversas cidades ucranianas, o governo da Rússia falou em reduzir ‘radicalmente’ a atividade militar em determinadas áreas da Ucrânia. A declaração foi dada nesta terça-feira, 29, pelo vice-ministro da Defesa russo, Alexandre Fomine, que participa das negociações entre os dois países em Istambul, na Turquia. Segundo o representante do Kremlin, as principais áreas afetadas serão Kiev e Chernihiv. “À medida que as negociações sobre um acordo de neutralidade e o status não nuclear da Ucrânia entram em uma dimensão prática (…), foi decidido, para aumentar a confiança, a redução radical da atividade militar em Kiev e Chernihiv”, disse Fomine. O chefe da delegação russa responsável pelas negociações, Vladimir Medinski, classificou as conversas como “significativas”, reconhecendo o avanço. Por sua vez, os negociadores ucranianos disseram que a possibilidade de uma reunião entre Vladimir Putin e Volodymyr Zelensky não está descartada.

*Com informações da AFP