Embaixada da Rússia em Londres considera expulsão de diplomatas inaceitável

  • Por Agência EFE
  • 14/03/2018 14h59
EFE/EPA/NEIL HALLEx-espião russo Sergei Skripal e a filha Yulia foram envenenados no Reino Unido com um agente nervoso militar de fabricação russa

A decisão do Reino Unido de expulsar 23 diplomatas russos é inaceitável, protestou a embaixada da Rússia em Londres nesta quarta-feira (14). “Consideramos esta atitude hostil uma medida absolutamente inaceitável e injustificável”, afirmou um texto publicado no site oficial da embaixada.

A expulsão foi anunciada pela primeira-ministra britânica, Theresa May, após Moscou não ter esclarecido por que e como o ex-espião russo Sergei Skripal e a filha Yulia foram envenenados no Reino Unido com um agente nervoso militar de fabricação russa.

A dirigente conservadora detalhou que o número de diplomatas expulsos, que foram identificados como “agentes dos serviços secretos encobertos”, é “o maior em 30 anos” e que eles terão uma semana para abandonar o país.

Segundo May, a Rússia não ofereceu uma argumentação “crível” nem esclareceu “por que conta com um programa de armamento químico, transgredindo a legislação internacional”.

Responsabilidade

Em pequeno texto, a delegação russa afirma que o embaixador Alexander Yakovenko foi convocado ao Ministério de Relações Exteriores britânico, onde foi informado da expulsão dos 23 diplomatas. “Toda a responsabilidade pela deterioração das relações entre a Rússia e o Reino Unido está nas atuais autoridades britânicas”, acrescentou o comunicado.

Trata-se da primeira reação de Moscou ao anúncio de May, que em declaração perante o Parlamento considerou que a Rússia reagiu “com um completo desprezo” diante da “gravidade” do envenenamento ocorrido no último dia 4 na cidade inglesa de Salesbury.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que a Rússia não tem relação com o envenenamento do ex-espião e a sua filha, e que considera inaceitáveis as acusações sem provas.