Coronavírus: Espanha proibirá demissão de trabalhadores durante crise

‘Não iremos deixar ninguém para trás’, garantiu a titular da pasta do Trabalho, Yolanda Díaz, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (27)

  • Por Jovem Pan
  • 27/03/2020 13h32
EFE/JUANJO MARTÍNA Espanha é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus

O governo da Espanha proibirá as demissões de trabalhadores durante a crise provocada pela propagação do novo coronavírus, em uma tentativa de conter as consequências sociais da pandemia no país.

“Não se pode aproveitar a Covid-19 para demitir”, disse em entrevista coletiva a titular da pasta do Trabalho, Yolanda Díaz, logo após a conclusão de reunião do Conselho de Ministros.

Segundo a integrante do governo, a proibição estabelece a impossibilidade de realizar demissões por “força maior”, lembrando que já foi aprovado um mecanismo especial para facilitar as suspensões temporárias de emprego.

“Não é necessário demitir ninguém no nosso país. Não iremos deixar ninguém para trás”, garantiu Díaz.

Até o momento, a Espanha registrou pedidos de regulação temporária de emprego em mais de 210 mil empresas, o que afetou cerca de 1 milhão de trabalhadores.

A ministra garantiu que todas as solicitações apresentadas até o momento serão revisadas e que, caso seja encontrada alguma irregularidade, a aceitação pode ser revogada.

O governo da Espanha ainda determinou que os contratos temporários e de formação se mantenham vigentes até o fim das restrições de trabalho provocadas pelo novo coronavírus.

“Não há porque se extinguir os contratos temporários. Estes são interrompidos e voltarão quando passarmos a crise”, afirmou Díaz.

A ministra, que pediu que os empresários do país sejam um exemplo para o restante da sociedade, lembrou que o governo busca formas de acelerar a aprovação e o pagamento dos subsídios para os trabalhadores do país.

*Com informações da EFE