EUA: Coquetel testado na Flórida apresenta eficácia contra Covid-19

Em pacientes que recebem o ICAM imediatamente após o diagnóstico, a taxa de sucesso é de 96,4%

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2020 16h09 - Atualizado em 27/09/2020 16h27
remédios saindo do frasco

Um coquetel de medicamentos contra a Covid-19 está sendo testado em pacientes de um hospital da Flórida, nos Estados Unidos. O composto de remédios, segundo os criadores, apresenta resultado positivo em mais de 95% dos casos se aplicado no início do desenvolvimento da doença. O ICAM, como a terapia foi chamada, é composta de vitaminas e zinco, corticosteroides, anticoagulantes e antibióticos, de acordo com a entidade de saúde. Ao todo, 100 pessoas que deram positivo no teste do coronavírus se voluntariaram para ser tratadas com os medicamentos fora do hospital como parte de um ensaio clínico apoiado pelo Departamento de Saúde da Flórida e pelo Centro de Saúde do Coração da Flórida, disse o site especializado “TrialSite News”.

O ICAM foi desenvolvido pela diretoria de farmácia e por uma equipe de médicos do hospital Ocala e tem sido fornecido a pessoas hospitalizadas pela Covid-19 há meses. O composto ainda não foi testado em casos leves de infecção, mas sim em pacientes hospitalizados. “Durante 76 dias, nossos pacientes tiveram zero transferências para a unidade de terapia intensiva, zero necessidade de ventiladores mecânicos e zero mortes por tratamentos como o ICAM ou similares”, declarou a diretora de farmácia do hospital AdventHealth Ocala, Carlette Norwood-Williams. Ela destacou que a pesquisa mostra que com a medicação correta aplicada imediatamente após o diagnóstico, um paciente pode ter uma melhor resposta, independentemente da idade ou de outras condições, e isso aumenta suas chances de sobrevivência. Em pacientes que recebem o ICAM imediatamente após o diagnóstico, a taxa de sucesso é de 96,4%, de acordo com Norwood-Williams e colaboradores. O objetivo do ensaio clínico é determinar se o trabalho da equipe de especialistas do hospital Ocala pode ser usado em outro lugar para tentar reduzir a taxa de mortalidade da Covid-19.

*Com Agência EFE