EUA: Furacão Laura chega à Louisiana com ventos de 240 km/h; autoridades emitem alerta

Laura é o primeiro grande furacão, de categoria 3 ou superior, nesta temporada no Atlântico

  • Por Jovem Pan
  • 27/08/2020 07h47
Courtney Sacco/Caller-Times via USA TODAY NETWORKNews Furacão tocou o solo dos Estados Unidos nesta madrugada

O furacão Laura rapidamente chegou à categoria 4, com ventos máximos que chegaram a 240 quilômetros por hora, antes de tocar terra na costa do Texas e da Louisiana, o que aconteceu, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC), na madrugada desta quinta-feira (27). Às 14h (local, 15h de Brasília), o olho de Laura estava localizado 320 quilômetros ao sul-sudeste de Lake Charles, na Louisiana, e a mesma distância ao sul-sudeste de Port Arthur, no Texas, de acordo com o NHC. “Laura se tornou um furacão de categoria 4 extremamente perigoso, com tempestades catastróficas, ventos extremos e inundações repentinas na costa noroeste do Golfo (do México) esta noite”, advertiu o observatório. O furacão está se deslocando para noroeste e através do Golfo do México a 26 km/h. Espera-se uma volta gradual norte-noroeste e norte ao longo do dia. Milhares de pessoas evacuaram suas casas devido ao risco de enchentes.

No gráfico de previsão, Laura se aproximará da região do Alto Texas e da costa sudoeste da Louisiana e depois se deslocar para o interior. Espera-se que o centro do furacão se mude para o noroeste da Louisiana amanhã, percorra o Arkansas na noite desta quinta e depois atinja o Vale do Mississippi na sexta-feira. “Tempestade catastrófica, ventos extremos e inundações repentinas estão acontecendo em partes da Louisiana”, alertou o NHC.

Os especialistas estão comparando Laura com Harvey, um furacão de categoria 4 que causou inundações catastróficas e produziu US$ 125 bilhões em prejuízos no Texas e na Louisiana nessa mesma época do ano em 2017. Laura é o primeiro grande furacão, de categoria 3 ou superior, nesta temporada no Atlântico. A previsão era mesmo a de muita atividade, com até 25 tempestades nomeadas, das quais 13 já se formaram. Dessas tempestades, até 11 poderiam virar furacões, e quatro já o fizeram: Hanna, Isaias, Marco e Laura.

 

Os especialistas estão comparando Laura com Harvey, um furacão de categoria 4 que causou inundações catastróficas e produziu US$ 125

*Com Agência EFE