EUA: Gorgetown quer fazer vaquinha para pagar descendentes de negros vendidos como escravos

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2019 15h22 - Atualizado em 12/04/2019 15h23
Divulgação/Georgetown Universidade arrecadou US$ 3,3 milhões com venda de escravos em 1838

Alunos da renomada universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, vão votar se querem juntar dinheiro para pagar uma indenização a descendentes de negros que foram vendidos como escravos pela universidade no passado. Em 1838, a instituição decidiu levantar fundos com a venda de 272 negros. A informação é da BBC.

Como tinha o apoio de fazendeiros, a universidade Às vezes recebia negros como doações. Naquele ano, em um negócio que gerou US$ 3,3 milhões, foram vendidos 272 negros para serem utilizados em uma plantação em Louisiana.

Os defensores da proposta de reparação argumentam que os Estados Unidos construíram sua riqueza às custas do povo escravizado, que mais tarde foi excluído da distruibuição de riquezas. Essa pode ser a primeira reparação paga diretamente a descendentes de negros escravizados nos Estados Unidos.

A proposta prevê que todos os estudantes de graduação paguem uma taxa semestral de 27 dólares que serão destinados aos descendentes.

Um trecho da proposta diz que os alunos reconhecem o “grande privilégio” que têm e que desejam pagar as “dívidas” com essas famílias.

O grupo que defende o projeto diz que ele vai abrir um debate sobre as reparações em todo o país.

Os críticos à proposta dizem que o valor é apenas “simbólico”, e que não há informações embasadas para calcular a quantia que deve ser paga.

Outra crítica é a questão da obrigatoriedade. Alguns alunos já se manifestaram dizendo que gostariam que o pagamento fosse “opcional”.