Coronavírus: Trump diz que ‘não quer outros conseguindo máscaras’

País já superou os 300 mil casos e há escassez de leitos, respiradores e equipamentos de proteção

  • Por Jovem Pan
  • 05/04/2020 10h39
Chris Kleponis/EFENo pronunciamento, ele também alertou a população a manter as medidas de isolamento

Em um discurso feito neste sábado (5), o presidente Donald Trump disse que os Estados Unidos “precisam de máscaras” para conter o novo coronavírus e foi bem claro ao falar que “não quer outros conseguindo” o equipamento.

O país já superou os 300 mil casos e, principalmente nos estados que registram maior número de mortos e infectados, como Nova York, há escassez de leitos, respiradores e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

O presidente invocou a legislação da Guerra Fria para aumentar produção de máscaras e materiais hospitalares. Essa lei possibilita, por exemplo, que o governo peça à empresas privadas que produzam os equipamentos que estão faltando no país.

“Precisamos das máscaras. Não queremos outros conseguindo máscaras. É por isso que estamos acionando várias vezes o ato de produção de defesa. Você pode até chamar de retaliação porque é isso mesmo. É uma retaliação. Se as empresas não derem o que precisamos para o nosso povo, nós seremos muito duros”, afirmou Trump.

No pronunciamento, ele também alertou a população a manter as medidas de isolamento. “Se elas forem amenizadas nas próximas 2 semanas, o número de mortes pode ser muito maior do que o previsto”, disse.

Trump enviou mil militares para ajudar a cidade de Nova York. Segundo ele, os estados que não estão passando por uma situação tão grave devem ajudar os necessitados. Washington, por exemplo, está liberando uma estrutura de hospital de campanha com mais de 300 leitos.

Na sexta-feira, 600 respiradores artificiais ficaram retidos no aeroporto de Miami, de onde seriam enviados ao Brasil. No valor de R$ 42 milhões, a carga havia sido adquirida pelos estados do Nordeste. O fornecedor, que era da China, cancelou a venda de forma unilateral, sem prestar esclarecimentos ao governo brasileiro.