EUA sancionam 7 russos por tentar influenciar nas eleições do ano passado

O secretário de Estado, Mike Pompeo, informou nesta segunda-feira (30) que qualquer pessoa ou empresa que interaja com os russos punidos também estão sujeitas a sanções futuras

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2019 14h34
JIM LO SCALZO / EFEMike Pompeo, secretário de Estado dos EUA

Os Estados Unidos sancionaram nesta segunda-feira (30) sete cidadãos e quatro entidades da Rússia por supostamente tentar interferir nas eleições legislativas de 2018, todas relacionadas à organização da Agência de Pesquisa na Internet, com sede em São Petersburgo.

“Hoje, a Agência de Controle de Ativos Estrangeiros dos EUA (OFAC, sigla em inglês) do Departamento do Tesouro dos EUA tomou medidas contra atores russos que tentaram influenciar as eleições de meio de mandato de 2018”, afirmou em comunicado o Tesouro americano. Como resultado das sanções, os ativos que esses indivíduos e entidades podem ter sob a jurisdição dos EUA são congelados e são proibidos de realizar transações financeiras com Washington.

No entanto, o governo americano afirmou não ter encontrado indícios que estas entidades russas fossem capazes de comprometer a infraestrutura eleitoral que teria impedido a votação, mudar o voto ou interromper a apuração nas eleições realizadas em novembro de 2019, nas quais se elegeram a totalidade dos legisladores da Câmara Baixa e um terço do Senado.

Especificamente, as autoridades americanas congelaram os ativos de Yevgeny Prigozhin, um empresário vinculado ao presidente russo, incluindo três aviões e um iate, além dos de funcionários da Agência de Pesquisa na Internet, financiados pelo mesmo magnata.

Esta não é a primeira vez que os EUA punem Prigozhin, conhecido como “chef” de Vladimir Putin por organizar seus banquetes oficiais e com influência no Kremlin, segundo veículos de imprensa americanos, já que foi acusado formalmente pelo Departamento de Justiça.

“O Tesouro está mirando aviões particulares, iates e empresas associadas associadas a Yevgeny Prigozhin, o financeiro russo por trás da Agência de Pesquisa na Internet e suas tentativas de subverter os processos democráticos americanos”, disse o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin.

Além do magnata russo, os EUA também sancionaram Dzheykhun Nasimi Ogly Aslanov, Mikhail Leonidovich Burchik, Vadim Vladimirovich Podkopayeva, Vladimir Dmitriyevich Venkov, Igor Vladimirovich Nesterov e Denis Igorevich Kuz Kuz, todos eles funcionários da empresa de Prigozhin, além de três outras entidades.

Por sua parte, o secretário de Estado, Mike Pompeo, advertiu nesta segunda que qualquer pessoa ou empresa que interaja com os russos punidos “também pode estar sujeita a sanções futuras”.

*Com informações da EFE