Evo Morales defende Maduro: ‘Garras do imperialismo buscam ferir a democracia’

  • 23/01/2019 18h25
Enzo de Luca / ABI"Nunca mais vamos ser quintal dos EUA", declarou o boliviano

Assim como o governo do México, o presidente da Bolívia, Evo Morales, continua reconhecendo o ditador Nicolás Maduro como presidente da Venezuela. Nas redes sociais, ele criticou Juan Guaidó, líder da oposição venezuelana que se declarou presidente interino nesta quarta-feira (23), e enviou “solidariedade” ao colega.

“Nossa solidariedade com o povo venezuelano e o irmão @NicolasMaduro, nestas horas decisivas em que as garras do imperialismo buscam novamente ferir de morte a democracia e a autodeterminação dos povos da América do Sul. Nunca mais vamos ser quintal dos EUA”, escreveu.

Nesta quarta, em meio a uma onda de protestos contra a ditadura de Maduro, o presidente da Assembleia Nacional da VenezuelaJuan Guaidó, considerado o principal líder da oposição, declarou-se presidente interino do país.

“Em condição de presidente da Assembleia Nacional, ante Deus, Venezuela, em respeito a meus colegas deputados, juro assumir formalmente as competências do executivo nacional como presidente interino da Venezuela”, disse, em pronunciamento.

Diante de centenas de manifestantes que o apoiam, o deputado segurou um exemplar da Constituição venezuelana e afirmou que seu objetivo é “conseguir o fim da usurpação” e realizar “um governo de transição e ter eleições livres”.