Facção rebelde assume controle de base militar em Myanmar

Assim como outras organizações semelhantes, a União Nacional Karen (KNU) está combatendo a junta militar que governa o país desde o golpe de Estado em fevereiro

  • Por Jovem Pan
  • 27/04/2021 11h34
EFE/EPA/KAREN NATIONAL UNION HANDOUTFoto divulgada pela KNU mostra os rebeldes inspecionando rifles apreendidos dos militares após confronto

Uma das facções rebeldes mais importantes do Myanmar, a União Nacional Karen (KNU), conseguiu assumir o controle de uma base militar no próprio estado de Karen, perto da fronteira com a Tailândia, nesta terça-feira, 27. O anúncio foi feito à agência de notícias francesa Agence France-Presse por um dos líderes da KNU, Padoh Saw Taw Nee, que não revelou se o confronto em meio à selva deixou vítimas fatais. Em seu último ataque em março, 10 soldados foram mortos. O porta-voz da junta militar, Zaw Min Tun, também confirmou o ataque e disse que “medidas serão adotadas” contra a KNU. Assim como outras organizações semelhantes, a facção está combatendo a junta militar que governa o país desde o golpe de Estado de fevereiro, que retirou a líder Aung San Suu Kyi do poder. No entanto, suas origens são muito anteriores a esse evento político. Desde a independência do Myanmar em 1948, diversos grupos étnicos lutam contra o governo central para obter mais autonomia. Em 2010, o exército alcançou um acordo nacional de cessar-fogo com dez grupos, incluindo a KNU. Com o golpe militar, porém, muitos retomaram suas ações.